Mês: março 2018

O Bistrô Cervejeiro, Empório da Cerva, passa a acomodar dez estações sequenciais de cervejas artesanais, em uma câmara fria.

A partir do dia 10 de março, o local passará a abrigar o maior tap room da região. Em tempo: o termo tap room significa algo como “espaço das torneiras”, já que as cervejas “on tap” são aquelas servidas em torneiras.

Com a novidade, o tap room do Empório da Cerva passa a acomodar dez estações sequenciais de cervejas artesanais, em uma câmara fria. “Teremos o maior número de torneiras instaladas em uma cervejaria de toda a Vila Mariana e também do Paraíso e bairros adjacentes”, diz Alex Amaral, sócio proprietário do local.

O tap room do bistrô cervejeiro está totalmente alinhado com o movimento de mercado das cervejas artesanais. Segundo Alex, o cenário cervejeiro do Brasil é muito rico e novidadeiro, por isso, a mudança do Empório da Cerva chega na hora certa. “Todo dia, é lançado um rótulo novo aqui. Atualmente são mais de 1.500 disponíveis apenas no Brasil”, conta ele. “Com a mudança do perfil do Empório da Cerva, vamos poder oferecer sempre cervejas artesanais variadas, com grande sortimento, a um custo excelente para o cliente”, explica Alex. “Isso sem falar da experiência da degustação em si, que vai ficar muito mais interessante e prazerosa”.

A ideia é que as cervejas se revezem nas dez torneiras, de modo ao Empório da Cerva sempre trazer muitas novidades para o público. A curadoria das cervejas vai ficar a cargo do próprio Alex, expert no universo cervejeiro. Ele destaca que 90% das marcas presentes na casa serão de origem nacional e apenas 10% importadas. “Fizemos esta opção porque além das cervejas nacionais serem hoje de muita qualidade, prefiro valorizar a produção do nosso País”, conta.

Ele adianta, ainda, que a casa contará com cervejas claras e escuras, compondo um mix que vai agradar aos mais diferentes perfis de consumidores. “Vamos ter diversos estilos, como IPA (India Pale Ale), Weiss, Pilsen, Red Ales, Stouts, enfim, de tudo um pouco”, diz Alex.  “Para ficar bem dinâmica a experiência, o revezamento dos tipos de cerveja vai ocorrer semanalmente”, diz Alex. “Mas, sempre, antes de decidir o que teremos na semana seguinte, vamos levar em conta o clima e as preferências do público”, comenta.

Para se ter uma ideia das marcas que poderão estar disponíveis no rodízio das torneiras, Alex dá uma ideia sobre o mix que pretende oferecer.  Por exemplo, a Roleta Russa, que agrada aos fãs de cervejas amargas, é um bom exemplo. Bem como os rótulos da Microcervejaria X. Outras estrelas? As cervejas da Startup Brewing, Bodebrown, Suricato, Dogma, Avós e também da Perro Libre, todas de qualidade excelente.

A aposta nas cervejas de estilo IPA também é forte. “Elas são amargas com um toque cítrico, resultando em um sabor muito interessante e que agrada muito ao paladar dos cervejeiros brasileiros”, comenta Alex.

Para apreciar as cervejas do tap room, o cliente poderá optar pela dose half pint, 300 ml (a partir de R$ 9) ou pint de 473 ml (a partir de R$ 15). Em tempo: os pints são medidas de cerveja européias usadas no mundo todo. Merecem destaque as porções de amendoim torrado e salgado artesanalmente que, para alegria dos cervejeiros, são cortesia da casa.